quinta-feira, setembro 08, 2016

Fascistas não passarão: o underground contra o golpe de Estado no Brasil.

Seja você de centro, direita (apolítico) ou esquerda. Tenha você votado no partido que for, ou ainda que nunca tenha votado em político algum. Não há parcimônia ou dúvida: o que aconteceu no dia 31 de agosto de 2016 no Brasil foi a consolidação de um golpe de Estado de inspiração fascista. Ainda que travestido de legalidade, o impeachment da presidenta eleita Dilma Rouseff, justificado pela via "parlamentar" ou "institucional", tirou do poder após 13 anos  um partido político de esquerda moderada em favor da direita. Cansados de concessões e negociatas, representantes de industriais, latifundiários e banqueiros se armaram no ódio misógino, neopentecostal, integralista e homofóbico para tomar o poder como um todo. Sua agenda de governo é neoliberal da forma mais conservadora que nunca um governo democraticamente eleito poderia aprovar: privatização irrestrita, tomada dos direitos dos trabalhadores e aposentados para o capital prosperar.


Recentemente, Honduras (julho de 2009) e Paraguai (junho de 2012) passaram por processos semelhantes, sem contar que a Argentina teve o fim de 12 anos kirchnerismo com a eleição do direitista Carlos Macri (novembro de 2015). O capital internacional e a política externa estadunidense comemoram o momento para neo-colonizar a nós, o povo latino! Aqui no Brasil o governo do PMDB já retirou toda representação de negros, índios, mulheres, não-cristãs e não-héteros dos ministérios. Igual a ditadura de 1964, Michel Temer - o testa de ferro das elites - não aceita ser chamado de golpista e liberou a repressão para àquelas e aqueles que forem às ruas protestar.



A tomada de liberdades civis e individuais são antônimos ao Rock'n'Roll. No que pese a discordância em relação a isso e que hajam reacionários entre as pessoas da cena, qual capitães do mato (mas que não serão pagos) comemorando o golpe de Estado, autoritarismo não é algo tolerado no Underground. Assim, o Rock Dissidente apresenta agora o manifesto da nossa atual cena underground, de guerreiras e guerreiros que tiveram coragem e ousadia de se insurgir contra o fascismo institucionalizado. Goethe certa vez escreveu "seja ousado e forças obscuras o ajudarão". Que nosso gripo de revolução em favor da sociedade democrática de direito ajude a vencer a repressão do golpe de Estado racista, homofóbico e machista.

Os depoimentos foram organizados por ordem alfabética inversa.


01 . VIOLATOR


Formada em 2002 na capital federal, o VIOLATOR, já após lançar o EP "Violent Mosh" foi se tornando uma das maiores referências atuais no Thrash Metal brasileiro. O som tradicional oldschool / crossover uniu bangers e thrashers do mundo todo sob os ideais anarquistas defendido pelo quarteto, às vezes trio.



Já tendo se envolvido em polêmicas contra Bolsonaro, e defendido ocupações como a de Pinheirinho, o grupo soltou essa imagem de KING DIAMOND assassinando Eduardo Cunha e Michel Temer.


02 . VINGANÇA SUPREMA / HARPAGO


Formada pelo guitarrista Leandro Wild, o VINGANÇA SUPREMA lançou três demos entre 2003 e 2009. Somente em 2012 o grupo de Thrash Metal retomou as atividades, alcançando ótimas críticas com o debut "Massacre Final".



Com inspiração em uma canção do HARPPIA, o HARPAGO surgiu em 2008. Leandro entrou no grupo em 2015, já tendo registrado o EP "Submundo Metálico", cuja a capa simboliza o underground comemorando a morte de um engravatado que lembra um político homofóbico.




03 . VINGADOR



Após 10 anos como DARK SIDE, o grupo carioca passou a se chamar VINGADOR em 2009, e desde então só fez crescer sua popularidade entre os fãs de Thrash Metal, e seguindo o exemplo do VIOLATOR, também são anarquistas e já se apresentaram por todo Brasil e o mundo. Após o golpe de Estado consolidado, o power trio dedicou uma letra e uma música ao povo para se revoltar contra o novo governo.



Muito infelizmente, o grupo figurou nas manchetes após a headbanger Raissa Ribeiro ter sido vitima de feminicídio quando voltava de um concerto do grupo numa escola ocupada em Niterói.

http://rockdissidente.blogspot.com.br/2016/05/vingador.html

04 . VINCULUM"Não consigo ver nada além de gângsteres insatisfeitos com o cenário político, manusearem com auxílio da grande mídia, uma população politicamente ignorante".
(Ari Sabbath, guitarrista solo e base).

"Muitos odiarão nosso som, mas quem é headbanger se amarrará" é a proposta dos paraibanos do VINCULUM. Vindos de Campina Grande, interior do estado e na ativa desde 2012, o grupo já possui um single, uma participação em tributo e um EP na bagagem, se encontrando trabalhando no debut. As letras da banda, sempre em português, exaltam o espírito de liberdade; e como esse sentimento libertário é destratado ao se viver num mundo caótico repleto de preconceitos e opressões. Mazelas essas referendadas pelo golpe de Estado.



05 . TUATHA DE DANNAN 

"Contra o Golpe!!!!"
(Bruno Maia, guitarrista, vocalista, bandolinista e flautista).



Surgida em 1998, após quatro anos chamando PENDRAGON, o TUATHA DE DANNAN (nome de uma raça mitológica irlandesa) vem de Varginha, a cidade do ET, no interior de Minas Gerais. Foi pioneira no som Celtic Metal no Brasil, primazia essa que a coloca entre os maiores de seu gênero no mundo todo. Após uma pausa por na década de 2000 (onde os membros se envolveram em outros projetos), o grupo voltou à ativa em 2013.


06 . O SATANICO DR. MAO E OS ESPIÕES SECRETOS


Na ativa desde 1982, Mao foi o membro fundador da banda GAROTOS PODRES, grupo que liderou e compôs a maioria das músicas por trinta anos. Em 2012, por conta de um descompasso idelogico, com o baixista e baterista resolveram se assumir de direita e admiradores da Rota (Rondas Ostensivas Tobias Aguiar - tropa de contensão de distúrbios civis da polícia militar de sp), o vocalista Mao (petista assumido) e guitarrista Cacá fundaram O SATÁNICO DR. MAO E OS ESPIÕES SECRETOS, mantendo vivo o espírito libertário dos GAROTOS PODRES.



Ativista político de esquerda desde que começou a carreira, esse o grupo com mais postagens contra o governo golpista. Em sua página no facebook, há mais protesto contra o governo do PMDB que divulgação de suas músicas. No palco, a banda mantém a postura forte, homenageando o presidente usurpador do Brasil com a música "Vomitaram no Trem" transformada em "Vomitar no Trem do Temer".

07 . ÓDIO AO EXTREMO 

"Eu e minha banda Ódio ao Extremo somos contra o avanço conservador e moral fascista que vem se instalando no Brasil.  Não defendemos nenhum governo especificamente, mas não somos otários e cegos para não ver que isso é água na fervura. Com intento de estancar a sangria politica das investigações e saciar grande parte da sociedade fascista e escravagista! Esse sera o combustível da nossa revolta para a composição do próximo álbum e com toda certeza será objeto do meu falatório em shows! Fascistas não passarão!".
(João Mario Oliveira, vocalista)

Fundada na cidade de Lavras, Minas Gerais, em 2012, o ÓDIO AO EXTREMO é uma banda de Hardcore Crossover suja, rápida e agressiva influências de Thrash / Grind / Punk e letras em português politizadas e realistas. O grupo já tem lançado uma demo e o full lenght "Animal".




08 . PSYCHOTIC EYES


"A posição do Psychotic Eyes é contra o golpe, que foi motivado por discurso de ódio e uma visão do estado retrógrada e conservadora, e perpetrado pelas piores figuras da política brasileira. O governo Dilma era um desastre, mas exatamente porque, aliando-se a essas figuras, interrompeu os avanços sociais e se deixou levar pela política econômica liberal, do ajuste fiscal e da redução dos direitos sociais. Isso agravou os efeitos da crise econômica. Mas, apesar de todas as críticas que se pudessem fazer ao seu governo, ela é inocente das acusações que lhe fizeram, e não pode haver impeachment da presidenta eleita sem que haja crime de responsabilidade. A democracia é mais importante do que a crise econômica, que o governo golpista não tem moral nem competência para resolver".
(Dimitri Brandi de Abreu, vocalista e guitarrista)

Na ativa desde 1999, o PSYCHOTIC EYES é um grupo de Death Metal extremamente diferente dos demais. Seja por inserir em sua musicalidade influências de jazz e MPB e rock progressivo, seja pelos constantes fletes com a literatura. Fugindo de clichês, o grupo já possui duas demos e o cd "I only smile behind the mask", sua obra maior.




09 . NUCLËAR FRÖST

"Golpe, Crise, Esquerda e Direita, assim como TV, Copa, Olimpíadas, nada mais são que técnicas de abstração de tirar atenção de entreter o povo para que não vejam as questões realmente importantes como a “Agenda Brasil”, politica imposta pelo G7 e FMI, para manutenção do Capitalismo mundial, pois o PT e Lula ou Dilma, na verdade só cumpriram a risca todas as metas impostas, cooptaram os movimentos sociais e os sindicatos e agora chegada a hora de apertar mais o cinto ou seja ajustar politicas mais pesadas contra o Povo para a devida manutenção. Só que o acabou o amor em 2013, houve uma resposta forte contra tudo isso e o fim da credibilidade do PT, mas toda ação tem sua reação, em toda história nas chamadas “Crises” tende-se o crescimento do Fascismo e da extrema direita e não foi diferente vivemos uma grande onde de conservadorismo e fascismo conjugados com politicas Neoliberais de precarização do trabalho e redução do Estado para com politicas sociais. Se pensarmos bem veremos que termos como Nação, servem para restrição dos povos como grandes rebanhos controlados pelas Elites. Pois quem é realmente rico tem livre acesso a qualquer país ou continente. E o povo esse sim tem que se organizar sem partidos ou governos para dessa forma conseguir a tão sonhada justiça social. Mas será possível? O Povo vai acordar? Ou estamos fadados a realidade dos livros de ficção de George Orwell e Aldous Huxley."
(Tom Thräshcrüst, baterista).

Formada em São Paulo, capital, em 2006 o NUCLËAR FRÖST é uma banda Crust de Metal Punk sui generis, pois sua sonoridade passa pelo Speed e Thrash Metal, sem deixar de lado  os primórdios do Black Metal nos anos 1980 e com vocal feminino gutural. Já tendo se apresentando em toda América do Sul, as letras em inglês, sempre libertárias, podem ser conferidas nos dois discos do grupo nos seis slipts e um EP.

 

10 . METALMORPHOSE


"Eu, particularmente, tenho certeza absoluta de que houve GOLPE. E lutarei pelo FORA TEMER CANALHA até o fim".
(PP Cavalcante, guitarrista solo)

Formado em 1983 com o nome de PENA DE MORTE e muita influência de BLACK SABBATH, o METALMORPHOSE foi uma das primeiras bandas de Heavy Metal do Rio de Janeiro e tem a importância de ter lançado (junto com o DORSAL ATLÂNTICA) o primeiro split do Metal Nacional. O grupo encerrou as atividades em 1988, sendo remontado vinte anos depois. O guitarrista PP Cavalcante entrou para banda em 2012, tendo registrado dois discos ao vivo ("Máquina ao Vivo" e "Super Peso Brasil") e dois de estúdio "Máquina dos Sentidos" e "Fúria dos Elementos".





11 . IMMINENT DOOM.


"Naturalmente o rock'n'roll e todas as suas vertentes são contraculturais, ou seja, indo na mão inversa ao sistema que vivemos. Sistema esse composto de regras teocráticas transfiguradas de democracia. Por esse motivo o Rock é em sua maioria hostilizado, estereotipado pela sociedade. O espírito contestador do rock bate de frente com toda essa nojeira golpista que se alojou em nosso território e o nosso papel é fazer com que a nossa voz seja expressada por meio de nossa arte. O rock é libertário, ultrajante e acima de tudo anti lei, anti tudo que essa sociedade prega nos dias de hj.".

(Ge Almeida, vocalista).

Banda mais nova em nossa manifesto, o quarteto paulistano IMMINENT DOOM foi formado em abril do ano passado. As composições, todas da vocalista Ge,  expressam sua agonia, descontentamento e apatia pelo mundo doente e frio que vivemos. O Black / Thrash Metal da banda está sendo registrado no EP "Guerra Iminente", que conterá oito faixas.




12 . IMMINENT ATTACK


Vindos de Barueri, interior de São Paulo, o quarteto IMMINENT ATTACK tem doze anos de carreira cuja missão é levar seu Thrash tradicionalmente crossover a criar os mais insanos moshs, pogos e bangueadas. O grupo do vocalista Dinho já mandou seus recados ofensivos para Bolsonaro e postou seu descontentamento contra o usurpador da democracia em diversas oportunidades. A banda já se apresentou por todo Brasil e até pela Europa divulgando seus dois EP's e dois discos completos, sendo o último "Welcome to my Funeral".



13 . D.O.P.S. Banda de Protesto

"A música para nossa banda ser um canal de expressão e reflexão. E a realidade, o momento político que o Brasil atravessa nos atinge e incomoda. Eu vejo que o Brasil caminhou de 1989 até 2013 nos trilhos da democracia. Muitos debates por cidadania e ampliação de direitos dos trabalhadores, estudantes e das minorias sendo discutidos e avanços nesses campos. Porém de 2013 para cá acho que entramos em uma turbulência política e um acirramento ruim do debate. Um avanço de uma direita que não acredita na democracia e se necessário for derrubar a democracia para ela estar no poder, ela vai derrubar e usar de artifícios autoritários. Eu vejo como o desfecho do que começou lá nas manifestações da Copa das Confederações em 2013 esse momento de impeachment. Infelizmente esse processo acabou num favorecimento dos setores políticos que governaram o Brasil até 2002. E que acreditam em uma diretriz neoliberal ao pensar seu projeto de país. Eu enxergo essa disputa e a queda da Presidenta Dilma como um Golpe de Estado por dentro do parlamento e com malabarismos jurídicos e com o aval de um judiciário que tem aversão ao povo. Por mais que a presidenta não teve competência e traquejo pra construir uma base de apoio na Câmara dos Deputados e no Senado. Creio que ela não deveria sair antes de 2018. O fato é que agora temos um país ainda mais rachado e com fissuras em sua política. O certo é que todos os lados perderam nesse choque e a democracia que é tão frágil aqui no Brasil. Sofreu um golpe que a deixa ainda mais vulnerável. O DOPS Banda de Protesto se posiciona contra esse governo que nasce tingido pela anulação do voto da maioria da população. Construir uma sociedade horizontal e diversa é o que defendemos".
(Silva Dops, guitarrista e vocalista).

Atualmente um power trio, o grupo da capital mineira possui quinze anos de total independência na cena underground. Considerando seu Hard Core / Punk barulhento como "Rock Molambo Carniça", o nome do grupo é uma sátira ao Departamento de Ordem Social e Política, que, ainda que criado na Ditadura Vargas, foi no regime militar amplamente utilizado para punir, torturar e matar quem quer que fosse contra os milicos. Essa crítica que leva no nome está presente em todas as músicas do DOPS, em faixas como "África", "Maquiaram a Miséria", "Tráfico", "Cultura do Conformismo" e outra todas com menos de dois minutos.



14 . DORSAL ATLÂNTICA


"O que houve foi um golpe de Estado pela via parlamentar como parte do plano estadunidense para 'endireitar' a América do Sul. Quando vi em 2013 os Black Blocks "sem partido" enxerguei o germe da intolerância; e do fascismo. Não ter governo e pregar voto nulo não é a solução. O Eduardo cunha e o PSDB continuarão com ou sem Temer, um pobre coitado, um boneco usado pelos estados unidos e pela Wall Street. Estamos prestes a encarar uma ditadura ou uma eleição indireta regida por um senado contaminado. É a sede pelo poder: se não vai na eleição, vai na marra".(Carlos Lopes, guitarra e vocal).


Banda mais antiga em nosso manifesto, a DORSAL ATLÂNTICA foi formada em 1981, sob o nome de NESS por Carlos e seu irmão Claudio.  Além do já citado Split com o METALMORPHOSE, a Dorsal ainda tem a importância de ser a primeira banda Thrash - no mundo - a lançar um disco no formato Ópera Rock. Nos anos 1990 a banda trocou o português pelo inglês acabando em 2001. Em 2012 a Dorsal retornou aos estúdios e lançou dois discos (um deles com financiamento coletivo), porém não se apresenta mais ao vivo.




Sendo ativista de esquerda e militando por toda a vida, o guitarrista e vocalista criou o conjunto justamente para conscientização popular, já que vários de seus temas tratam de críticas ao governo das elites que impõe miséria ao mundo. No período de inatividade da Dorsal, Lopes criou as bandas MUSTANG e USINA LE BLOND, além de ter trabalhado com a produção de rádio e cds, jornalista musical e escrever livros.


15 . DEADLINESS 


"Os CANALHAS do GOLPE se desejassem o bem do povo brasileiro teriam ajudado o governo da Dilma a sair da crise que vivemos e não sabotando o tempo todo!!!! Concordo que poucos políticos prestam, mas a política de quanto pior melhor só o governo da Dilma sofreu".(Roberto Queiroz, guitarrista e vocalista)

Formada em 1989 em Itaúna, interior de MG, o DEADLINESS atualmente é integrado pelo fundador Roberto (ex - CALVARY DEATH) com seus dois filhos Ícaro (baixo) e Igor (guitarra) mais o baterista original Bráulio.De sonoridade Thrash / Groove, o grupo já lançou diversos álbuns, variando entre canções em português e inglês, além de ter aparecido em diversos coletâneas.



16 . DARK AVENGER


Uma das mais bem sucedidas bandas de Brasília, DF, o DARK AVENGER foi fundado em 1993 e permanece ativo desde então sob a direção do excelente vocalista (e professor de canto) Mario Linhares. Power Metal de destaque dentro e fora do Brasil, o grupo possui quatro álbuns de estúdio, um EP, um ao vivo e uma demo. 


17 . CURSED SLAUGHTER


"O Cursed Slaughter acha tudo isso uma palhaçada sem fim, um jogo que se perpetua há anos no senado federal, onde o peão é sempre o operário, que nessa dança das cadeiras, fica sempre de pé, perde cada vez mais direitos para ceder espaço aos privilégios de uma classe que só tem procurado cada vez mais meios de explorar o trabalhador. Esse movimento foi simplesmente articulado para derrubar alguém que de alguma forma impedia o prosseguimento dos interesses do setor privado".
(Dan Pacheco - vocalista.)

Vindos da capital paulista, o CURSED SLAUGHTER é um quarteto de Thrash Metal / Crossover, oldschool, que segue os ideias anti-sistema do Punk Rock; gênero que deu gênese à ceara musical do grupo formado em 2009, que conta uma demo, um disco completo e um EP na discografia. Como poucos conjuntos fizeram, a declaração do CURSED SLAUGHTER reflete a opinião da banda toda.



18 . CRACKED SKULL

"Sou contra esse golpe escrachado. as letras do Cracked SKULL Metal gritam contra essa carnificina implantada pela burguesia do mundo todo sobre o povo".
(Clênio Lima, vocalista e baixista)

Formada em 2015 na cidade de Itaúna, Minas Gerais, por ex-membros das bandas CALVARY DEATH e HEADHUNTER D.C., o CRACKED SKULL é uma banda de Death Metal que usa passagens e arranjos progressivos setentistas (sem ser prog-metal) no seu som brutal. Com vocal gutural e também influências de Heavy e Thrash as letras da banda são todas de inspiração anarco-socialista. O CRACKED SKULL só tem um promo de três músicas e segue gravando seu material de estreia, que será um disco completo.



19 . ARTHORIUM RECORDS

"Há os que acham bonito o que está havendo no Brasil. Aceitar a precarização do país em nome do pagamento da dívida pública que ninguém quer auditar (pagar a quem? A quem interessa?), se deslumbrar com o dólar baixo que inunda nosso país de importados (pra comprar um disco mais barato? Pra visitar a Disney, como colegas meus?) e aceitar uma pseudo-segurança (a bala e sangue) nos grande centros urbanos, fechando os olhos ao que ocorre nas periferias e os ouvidos às verdadeiras demandas sociais, é como um nativo aceitando um presentinho, um espelhinho, ignorando o genocídio que ocorre com seus irmãos. Sempre fomos colônia, e qualquer movimento para se livrar disto será sempre abafado, deslegitimado e, preferencialmente, desmoralizado. Ainda somos colônia, e se lutar contra isto significa "nadar contra a correnteza", que assim seja. É junto destes que estarei".
(Arthur Migotto, fundador e também ex-vocalista do HAZY HAMLET)

Fundado em Curitiba, Paraná, no dia 25 de agosto de 2013, o selo independente Arthorium Records é também uma loja e estúdio pró-audio. Sua especialidade é o Heavy / Speed /Power / Thrash desde que seja oldschool. A direção é do produtor Arthur Migotto, mais conhecido por ter sido parte do HAZY HAMLET de 2001 a 2016. Músico desde 1997, as composições de Migotto são de cunho humanista, laicista, racionalista, contrárias ao estado opressor; porém, o selo existe para ajudar bandas independentes, não importando a ideologia política, desde que sejam oldschool.




20 . ARMADILHA 

"Me junto contra esse avanço fascista e conservador que também infecta parte do ambiente rock n roll há algum tempo, esses caras que tomaram de assalto o poder querem brecar as investigações para se safar e lucrar com o mercado internacional sufocando direitos constitucionais. Não para aí nesse caldo tem desvios e negócios escusos que vão de tráfico de armas ao tráfico de drogas querem sufocar o povo pobre e trabalhador, entregar as riquezas nacionais e limar o desenvolvimento, não sou mais do Armadilha, não posso responder pelo posicionamento deles que acredito eu seja também contra essa onda conservadora e apoiada nos holofotes da mídia mercadológica. Golpistas, Fascistas não passarão"!!!!

(Felipe J. Feliciano, ex-vocalista)


Heavy Metal tradicional cantado em português desde 2011, os paulistanos do ARMADILHA lançaram em 2013 seu dedut "Choque Elétrico". Felipe esteve com o grupo desde a formação até o lançamento do disco. O grupo continuou lançando um incomum EP com músicas do debut em francês, tcheco, russo etc, um single e uma participação na coletânea "Metal das Ruas volume II". Está prometido um disco ao vivo para 2017.

21 . AÇÃO LIBERTÁRIA

"Galerinha partidária do #NãoVaiTerGolpe, o que vocês estão esperando para lutar pelos votos de vocês? Ficar choramingando em rede social e mostrar as inúmeras evidências de que foi golpe não vai alterar o resultado final. Essa postura de esquerda moderada me faz rir. Achei que vocês com a força, apoio e estrutura que têm dentro do partido, sindicatos e afins iam invadir Brasília e ocupar o palácio do Planalto. Teve golpe e vocês não fizeram porra nenhuma pra salvar a "mãe" de vocês, a não ser diversas caminhadas e cirandas inúteis no meio da rua. Contestar seguindo as regras do Estado é o mesmo que jogar um jogo pra perder. Sua revolta em modo legalizado não incomoda os dominantes e o poder".(AÇÃO LIBERTÁRIA.)

Vindos da capital potiguar, Natal, Rio Grande do Norte, o AÇÃO LIBERTÁRIA é uma banda HxCx com muita influência de SLAYER na guitarra fazendo aquele Thrash Metal Crossover que o público tanto gosta para bater cabeça e abrir rodas monumentais nos shows. O grupo, de ideário anarquista, já tem um EP, um slipt (com o LEI DO KAOZ, de Recife / PE), uma demo e um full-lenght. O próximo disco completo "Cidadão de Bem" sai ainda em 2016 por download gratuíto, cd e k7.



*

Foi o primeiro golpe de Estado sofrido no Brasil no estreante século XXI. Tal como nas décadas de 1960 e 1970, o caso brasileiro não foi isolado na América Latina. A auto-determinação dos povos não está na agenda neoliberal e na política externa dos EUA. Agora temos o registro de quem foi contra. Dos artistas, eles que inspiram o cidadão comum, que esteja em consonância com o povo a força que derrubará essa nova versão da ditadura.

Willba Dissidente (setembro de 2016).
Agradecimentos a todas e a todos que resistem, em especial Verena, Gigi e Anny.

8 comentários:

  1. Belo texto! Bom saber que temos bandas politizadas que são contra o golpe!

    ResponderExcluir
  2. Vlw Willba, muito bom divulgar as bandas que tem tal posicionamento. Assim sabemos quem é quem no underground!!!!

    ResponderExcluir
  3. Todo apoio a essas bandas e repúdio a golpistas, fascistas e conservadores dentro e fora do Underground.

    ResponderExcluir
  4. total apoio a estas bandas! breath the underground!!
    -Rodolfo Martins
    Candeias/MG

    ResponderExcluir
  5. Essa bandas entenderam o verdadeiro sentido do metal subversivo. To com o verdadeiro underground para sempre. Fora golpista e suas marionetes

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  7. muito bom essa iniciativa. Sou do Pará,faço parte do CUCA circuito Universitario de cultura e arte e quero fazer um evento aqui na ufpa assim como o devcs.

    ResponderExcluir