terça-feira, maio 31, 2016

Vingador: nossa fã foi vítima de femicídio nessa sociedade moralista e conservadora!

O corpo de uma jovem mulher de foi encontrado CARBONIZADO. Essa moça de 21 anos foi a pela última vez quando voltava para casa de um show de Rock / Metal, na madrugada do dia 22 de maio, às cinco da manhã, no ponto de ônibus,. O evento se chamava Ocupa Rock e ocorreu na CE Miguel Couto, situada na rua Treze de Novembro, em Cabo Frio, cidade da região dos lagos no Rio de Janeiro, no dia 21 de maio de 2016. Era um show beneficente que buscava arrecadar alimentos e fundos para a citada escola, que se encontra ocupada pelo corpo docente e discente pedindo salários justos e melhores condições de ensino do estado carioca; bebidas alcoílicas e substâncias ilícitas estavam proibidas.

Raizza. Fonte: VINGADOR no facebook.
A violência brutal que Raíssa Ribeiro, também conhecida pelo pseudônimo de Rayzza, sofreu não acabou com sua morte. A vítima também foi alvo de machismo e misoginia na internet, quando um grupo de jovens que se intitulava "Metal" postou no facebook mensagens ironizando o assassinato da jovem e chegava a comemorá-lo como "menos uma dessas bêbadas degeneradas no metal". Após serem expostos seus perfis foram deletados. Para piorar a situação, a Rede Record do Rio de Janeiro, tendenciosamente, publicou uma matéria em que alegando a moça poderia ter sido assassinada por namorar, ao mesmo tempo, dois traficantes rivais. A fonte, nada confiável, de furo jornalístico era um suposto vizinho não identificável de Raíssa.

Uma das mensagens postados pelos masculinistas comemorando a morte trágica de Raíssa. Fonte: facebook.
Já era hora de alguém que conhecia Raíssa se pronunciar. Tal fala veio justamente da banda que ela foi assistir no noite de sábado, sem saber que rumava para o último rolê de sua vida. Abertamente de esquerda e crítica à sociedade machista / patriarcal em que ricos, patrões e dominantes oprimem as minorias, a banda VINGADOR, de Macaé / RJ, está na ativa desde 2009 fazendo Thrash Metal oitentista com inspiração em SLAYER, EXODUS etc.



Em nota em sua página oficinal homenageando Raíssa, o VINGADOR explicita que moça gostava muito da banda e os acompanhava em todos os shows que podia. Além de bater cabeça, agitar e cantar todas as músicas, Raíssa, nessa apresentação, deu seu apoio ao grito do VINGADOR pedindo a desconstrução do machismo no Brasil.  "(Nossa fã e amiga) foi vítima do feminicídio que tem nos assolado", "uma menina é morta de forma covarde e brutal, e ainda é julgada pela ignorância e pelo ódio dos moralistas, dos conservadores como culpada, que ainda tentaram difamar o evento por tudo isso", comentaram indignados os músicos.



Ainda que chocados pelo ocorrido, "nossa mensagem aqui é de não desanimar, não se dar por vencido, não podemos jogar a toalha a um mundo que banaliza a misoginia, que escolhe a ignorância, a zona de conforto, o ódio e a barbárie como o caminho", bradou o VINGADOR. "Sabemos que Rayzza acreditava nisso, acreditava em resistir e assim ser livre (...) ela mesma escolheu ser livre quando escolheu lutar contra essa opressão no seu dia a dia. O VINGADOR acredita e luta por tudo isso e nossa mensagem é de resistência pela memória dessa menina linda, sincera e cheia de sonhos, que não desistam, RESISTAM"!

Finalizando, o grupo informa que a próxima apresentação da turnê "Hate Tour", que já passou pelo Japão e ainda vai para a Argentina, Paraguai e Uruguai, além de diversos estados brasileiros, será dedicado a Raíssa.



VINGADOR:

Alexandre Cabral - Vocal e guitarra
Diego Neves - Baixo e background vocals
Leonardo Bento - Bateria

Discografia:
Old Rituals of Death (single, 2011).
Dark Side (Full Lenght, 2012).
Let The Hate Flow (Ep, 2016).

Sites relacionados:

http://www.vingador.net/
http://vingador.bandcamp.com/
https://www.facebook.com/vingadormetal/
https://instagram.com/vingador.metal
http://myspace.com/vingadormetal
http://www.youtube.com/vingadormetal

AGRADECEMOS a Thiago do Costa por enviar um print da mensagem misógina.

NOTA DO AUTOR: Willba é fã de metal e feminista, lamentando profundamente a violência sofrida pela jovem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário